Informações técnicas


Este blog é dedicado à divulgação das atividades do Clube de Astronomia e do Observatório Astronômico Didático Capitão Parobé do Colégio Militar de Porto Alegre.

Localização

Pátio do 1º CTA, Rua Cleveland, 250, com entrada pelo 1º CGEO, antiga 1a. DL, bairro Santa Tereza, Porto Alegre

Rio Grande do Sul – Brasil

30º03’55”SUL 51º13’04”OESTE

Altitude: 69m

Características óptico-físicas do telescópio Celestron C11

Sistema óptico: Catadióptrico Schmidt-Cassegrain; Abertura (D): 11pol (279,4mm); Distância focal do espelho primário(F): 110,2 pol (2799,1mm); Razão focal (número f) = F/D: f/10; Maior aumento útil: 660X; Menor aumento útil: 42X; Poder de resolução (s) = 11,6”/D: 0,42”; Resolução fotográfica: 200 linhas/mm; Poder de concentração de luz: 1593X; Magnitude visual limite m lim = 7,5 + 5log (D): 14,73; Foco próximo com ocular: 60’; Foco próximo com câmera: 60’; Comprimento do tubo óptico: 25 pol (635,0mm); Massa: 27,5 libras (12,5kg).

Características óptico-físicas do telescópio Celestron CPC800

Sistema óptico: Catadióptrico Schimidt-Casegrain; Abertura: 8pol (203,2mm); Distância focal: 2032mm (80”); Número f: f/10; Maior aumento útil: 480X; Menor aumento útil: 29X; Poder de resolução: 0,57”; Resolução fotográfica: 200linhas/mm; Poder de concentração de luz: 843X; Magnitude visual limite: 14,04; Comprimento do tubo óptico: 17” (43,18cm); Massa: 42 libras (19,1kg).

quinta-feira, 1 de novembro de 2018

CONSTRUINDO UM PLANETÁRIO

O link a seguir mostra como podemos construir um pequeno planetário em casa para auxiliar nosso estudo  dos fenômenos celestes. Nesse pequeno planetário podemos desenhar as linhas do equador celeste, da eclíptica, os pontos cardeais (N, S, L, O), além de algumas estrelas e constelações que conhecemos em cada estação. 




Bibliografia

http://www.pontociencia.org.br/experimentos/visualizar/planetario-de-pobre/238
http://astro.if.ufrgs.br/esf.htm

sábado, 28 de julho de 2018

Eclipse da Lua visto desde Porto Alegre

No entardecer do dia 27 de julho de 2018 conseguimos apreciar um pouco o eclipse total lunar no ambiente do Observatório Astronômico Didático Capitão Parobé, do CMPA. Quase que não conseguimos registrar nada, pois o dia amanheceu, como todos os outros dias da semana, nublado, fechado, com nuvens carregadas. Foi um dia úmido. Na realidade, até tínhamos pensado em realizar

 um evento para a observação do céu para o público do CMPA e demais interessados,em geral, depois de acontecido o eclipse, mas cancelamos a atividade e nos dispersamos. Por uma questão mais de teimosia que de certeza, o Prof. Gomes após o meio-dia dirigiu-se para o Observatório para ver se conseguiria "pescar"alguma imagem, caso o tempo melhorasse. Qual não foi nossa surpresa, às 16h00 o tempo começou limpar e comuniquei que estava a postos. Imediatamente recebi mensagem pelo Whatsapp que a professora aposentada do CMPA, Maria Helena Gravina, estava a caminho com sua irmã, também professora aposentada, pela UFRGS, Maria Alice Gravina.
Criamos um belo ambiente regado a chimarrão e muita conversa em torno da expectativa do que poderíamos ver do eclipse. Logo após se aprochegaram também o SubTen SANDRO Marcelo de Souza Bezerra, com sua esposa Cristiane Maciel de Souza Andrade e seus filhos Julia e Felipe, moradores do residencial do 1 CTA. A senhora Crisitiane já é conhecedora do nosso trabalho, pois em 2016 trouxe para o Observatório turmas de alunos do Colégio Rosário, onde é professora de Geografia, e sempre que vê movimento no Observatório dá uma aparecida para ver se acompanha nossos trabalhos.  No final conseguimos ver boa parte do etapa final do eclipse, que foi a saída da Lua da umbra da Terra. Conseguimos algumas boas fotos apesar da alta umidade da atmosfera. O Sub Ten Sandro também tirou belas fotos com sua câmera. 

Além de apreciarmos a evolução do eclipse da Lua, apreciamos também, desde antes do escurecer, a presença muito brilhante do planeta Marte, que também estava em evidência, pois no dia 27 Marte e Terra se encontravam na maior aproximação possível para a época. Todos puderam apreciar também os planetas Vênus, Júpiter e Saturno, além de algumas estrelas e constelações notáveis. Mercúrio não pôde ser visto porque as nuvens no horizonte oeste estavam muito espessas.