Informações técnicas


Este blog é dedicado à divulgação das atividades do Clube de Astronomia e do Observatório Astronômico Didático Capitão Parobé do Colégio Militar de Porto Alegre.

Localização

Rua Cleveland, 250, bairro Santa Tereza, Porto Alegre

Rio Grande do Sul – Brasil

30º03’55”SUL 51º13’04”OESTE

Altitude: 75m

Características óptico-físicas do telescópio Celestron C11

Sistema óptico: Catadióptrico Schmidt-Cassegrain; Abertura (D): 11pol (279,4mm); Distância focal do espelho primário(F): 110,2 pol (2799,1mm); Razão focal (número f) = F/D: f/10; Maior aumento útil: 660X; Menor aumento útil: 42X; Poder de resolução (s) = 11,6”/D: 0,42”; Resolução fotográfica: 200 linhas/mm; Poder de concentração de luz: 1593X; Magnitude visual limite m lim = 2,5 . log (D / 6,2) 2 + mVS: 14,7; Foco próximo com ocular: 60’; Foco próximo com câmera: 60’; Comprimento do tubo óptico: 25 pol (635,0mm); Massa: 27,5 libras (12,5kg).

Características óptico-físicas do telescópio Celestron CPC800

Sistema óptico: Catadióptrico Schimidt-Casegrain; Abertura: 8pol (203,2mm); Distância focal: 2032mm (80”); Número f: f/10; Maior aumento útil: 480X; Menor aumento útil: 29X; Poder de resolução: 0,57”; Resolução fotográfica: 200linhas/mm; Poder de concentração de luz: 843X; Magnitude visual limite: 14,7; Comprimento do tubo óptico: 17”; Massa: 42 libras (19,1kg).

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Alunos do CMPA selecionados para Olimpíadas Internacionais de Astronomia em 2015


É com muita satisfação que tornamos público o resultado da seleção final para as Olimpíadas Internacionais de Astronomia de 2015. Foram selecionados os alunos Pedro Henrique da Silva Dias para participar da 9th International Olympiad of Astronomy and Astrophysics (IOAA), entre 26 de julho e 4 de agosto, em Java, na Indonésia, Ana Paula Schuch, para participar da VII Olimpíada Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica (VII OLAA), entre 9 e 16 de outubro, em Barra do Piraí, Rio de Janeiro, Brasil, e o aluno Adrisson Rogério Samersla como suplente.

Essa classificação é resultado da participação de nossos alunos, juntamente com outros 800.000 alunos de todo o Brasil, na XVII Olimpíada Brasileira de Astronomia realizada em maio de 2014, quando tivemos como resultado dessa primeira fase ao final do mês de setembro onze (11) alunos incluídos entre os mil (1.000) aprovados para a pré-seleção para as Olimpíadas Internacionais de Astronomia que ocorrem em diferentes partes do mundo. Após nova seletiva, desses onze (11) alunos, três (3) foram selecionados entre os cento e cinquenta e três (153) que disputaram a seletiva final em março para selecionar somente dez (10) que participarão na Indonésia da International Olympiad of Astronomy and Astrophysics, e da Olimpíada Latino-Americana de Astronomia e Astrofísica.

Desde o momento em que tomaram conhecimento de sua classificação, esses alunos têm se dedicado comoventemente a estudar astronomia e astrofísica, sendo orientados pelos professores coordenadores do Clube de Astronomia e do Observatório Capitão Parobé, mesmo durante as férias de verão. Em dezembro de 2015 e janeiro e fevereiro de 2015, realizaram mais três provas classificatórias não presenciais, online.

No dia 29 de março de 2015 essa equipe, juntamente com um professor orientador da Astronomia, Prof. Luiz Carlos Gomes, esteve em Barra do Piraí, RJ, para realizar, até 01 de abril, a última etapa de um conjunto de cinco provas. Essa última etapa foi presencial e constou da resolução de vários problemas teóricos e de duas provas práticas que envolveram conhecimento do céu, utilização de equipamentos e descrição de fenômenos in loco.


Durante todo esse tempo a preparação desses alunos tem acontecido nas dependências do Laboratório de Física, no espaço do Observatório Astronômico Didático Capitão Parobé e em casa, quando orientadores e alunos mantêm contatos por e-mail, redes sociais e por telefone. Porém, agora, a preparação toma um caráter mais acirrado.

Lembramos que com esses três alunos, já somamos 9 classificações para as olimpíadas internacionais, desde 2001, quando iniciamos nossas participações nessa modalidade de olimpíada estudantil. Tivemos o aluno Milton Viegas Júnior e o aluno Bruno Lion Gomes Heck em 2001, que se classificaram para a International Olympiad of Astronomy (6th OIA) na Crimeia. Na época dessa olimpíada aconteceram os ataques às Torres Gêmeas nos EUA e por esse motivo a coordenação da equipe olímpica brasileira desistiu da participação naquele ano, participando somente da 7h OIA em 2002, em Nizhnij Arkhyz, Norte do Cáucaso. Porém, como o aluno Lion se preparava para ingressar na Academia Militar de Agulhas Negras, decidiu não participar, ficando o CMPA com o único representante, o aluno Viegas, que trouxe de lá uma bela menção honrosa de participação.

Em 2005, ainda cursando a Oitava Série do Ensino Fundamental, o aluno Nathan Willig Lima foi selecionado para participar da 10th OIA, em Beijing China e em 2008 foi selecionado para participar da 13th OIA em Trieste, Itália, mas para essa olimpíada o Brasil desligou-se da OIA e não houve participação brasileira no evento. De qualquer forma, esses alunos foram premiados com viagem para a Alemanha, onde visitaram e conheceram centros de pesquisas e universidades que estão engajadas no estudo da Astronomia sob orientação da Dra. Astrônoma Thais Moté.

Na mesma época, em 2008, o aluno Otávio Macedo de Menezes foi selecionado para participar da 2nd IOAA em Bandung, Indonésia e em 2009 participou também da 3rd OIAA em Teerã, Irã.

Em 2014, tivemos a classificação do aluno Pedro Henrique da Silva Dias como suplente e Lucas Hagemaister para participar da VI OLAA, na cidade de Minas, Uruguai. O aluno Hagemaister destacou-se com um belo segundo lugar com medalha de prata e prêmio especial de melhor prova individual por ter gabaritado a prova teórica.

Os alunos agradecem à AACV pelo apoio financeiro na compra das suas passagens para o deslocamento e do professor orientador para Barra do Piraí, bem como o apoio financeiro para hospedagem e gastos terrestres desse mesmo professor. Agradecem também a disponibilidade dos professores do Terceiro Ano em alterar datas de realização e entrega de trabalhos na época que esses alunos estavam participando da última seleção e até pela liberação de horários de aula para estudos dessa ciência que não é curricular. Agradecem também a participação dos professores de física do CMPA nas frequentes intervenções, orientações e apoio na preparação daqueles alunos. Ao professor Antonio Carlos Paim pelas orientações no Clube de Astronomia. Agradecem à Sub-Direção de Ensino e à Supervisão Pedagógica pelo empenho em levar adiante o projeto, passando por cima de todas as dificuldades que apareceram até a hora de embarcarmos para a realização da última etapa.