Informações técnicas


Este blog é dedicado à divulgação das atividades do Clube de Astronomia e do Observatório Astronômico Didático Capitão Parobé do Colégio Militar de Porto Alegre.

Localização

Rua Cleveland, 250, bairro Santa Tereza, Porto Alegre

Rio Grande do Sul – Brasil

30º03’55”SUL 51º13’04”OESTE

Altitude: 75m

Características óptico-físicas do telescópio Celestron C11

Sistema óptico: Catadióptrico Schmidt-Cassegrain; Abertura (D): 11pol (279,4mm); Distância focal do espelho primário(F): 110,2 pol (2799,1mm); Razão focal (número f) = F/D: f/10; Maior aumento útil: 660X; Menor aumento útil: 42X; Poder de resolução (s) = 11,6”/D: 0,42”; Resolução fotográfica: 200 linhas/mm; Poder de concentração de luz: 1593X; Magnitude visual limite m lim = 2,5 . log (D / 6,2) 2 + mVS: 14,7; Foco próximo com ocular: 60’; Foco próximo com câmera: 60’; Comprimento do tubo óptico: 25 pol (635,0mm); Massa: 27,5 libras (12,5kg).

Características óptico-físicas do telescópio Celestron CPC800

Sistema óptico: Catadióptrico Schimidt-Casegrain; Abertura: 8pol (203,2mm); Distância focal: 2032mm (80”); Número f: f/10; Maior aumento útil: 480X; Menor aumento útil: 29X; Poder de resolução: 0,57”; Resolução fotográfica: 200linhas/mm; Poder de concentração de luz: 843X; Magnitude visual limite: 14,7; Comprimento do tubo óptico: 17”; Massa: 42 libras (19,1kg).

domingo, 7 de agosto de 2011

Sete alunos do CMPA na pré-seleção para Olimpíadas Internacionais de Astronomia


Entre os vários objetivos da Olimpída Brasileira de Astronomia (OBA), um deles é o de selecionar equipes para representarem o Brasil na Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica (IOAA, International Olypiad on Astronomy and Astrophysics) e na Olimpíada Latino Americana de Astronáutica e Astronomia (OLAA). Até 2010 as questões de astronomia da prova do nível 4 (Ensino Médio) tinham um nível de dificuldade que facilmente permitia selecionar uma centena de alunos, dentre aqueles de notas mais altas, nas questões de astronomia, para dentre esses, posteriormente, serem selecionadas as equipes que representariam o Brasil nas duas competições internacionais. Por outro lado, este alto nível de dificuldade das questões de astronomia implicava que muitos alunos tiravam notas muito baixas,o que não só desestimulava os alunos como também os seus professores. A partir de 2011, então, foi modificado o nível de dificuldade das questões de astronomia do nível 4, deixando-as muito mais simples, objetivas e sem manuseios algébricos. Com isso, um grande número de alunos obtiveram notas altas, o que praticamente impossibilita a seleção daquela centena de alunos que precisávamos, pois temos quase mil alunos com notas bastante altas.

Para serem selecionados cerca de 100 alunos para os quais vai ser dado um treinamento intensivo, semipresencial e à distâcia, será necessário fazer uma segunda prova, que foi denominada de "prova de PRÉ-SELEÇÃO", somente com questões de astronomia e com um nível de dificuldade um pouco acima daquele da prova realizada em 13/05/2011. As notas que os alunos obtiveram na prova de 13/05/2011 da XIV OBA serão usadas na distribuição das medalhas nacionais. Ou seja, a nota desta prova de PRÉ-SELEÇÃO não mudará nenhum resultado anterior. Essas regras são impostas pelos regulamentos das olimpíadas internacionais.
Os alunos que estão no Primeiro ou Segundo Ano do ensino Médio, nascidos depois de 01/01/92 e que estão sendo convidados para fazerem a prova de pré-seleção, só com questões de astronomia, são os seguintes:
Nicolau Pereira Alff,
Filipe Brito Hamburgo,
Heron Torres,
Guilherme Werberich Selbach,
vitor da Rosa Rohde, 
Willian Cechin Guarienti e
Gabriel Sholl Roballo 

Somente podem participar da prova de pré-seleção os alunos relacionados abaixo. Esses alunos não são obrigados a a realizar essa prova, porém a coordenação da OBA gostaria muito que os alunos fizessem a pré-seleção. A data na qual deverá ser realizada a prova de pré-seleção será na sexta-feira, dia 02/09/2011, no horário que acharmos conveniente.