Informações técnicas


Este blog é dedicado à divulgação das atividades do Clube de Astronomia e do Observatório Astronômico Didático Capitão Parobé do Colégio Militar de Porto Alegre.

Localização

Rua Cleveland, 250, bairro Santa Tereza, Porto Alegre

Rio Grande do Sul – Brasil

30º03’55”SUL 51º13’04”OESTE

Altitude: 75m

Características óptico-físicas do telescópio Celestron C11

Sistema óptico: Catadióptrico Schmidt-Cassegrain; Abertura (D): 11pol (279,4mm); Distância focal do espelho primário(F): 110,2 pol (2799,1mm); Razão focal (número f) = F/D: f/10; Maior aumento útil: 660X; Menor aumento útil: 42X; Poder de resolução (s) = 11,6”/D: 0,42”; Resolução fotográfica: 200 linhas/mm; Poder de concentração de luz: 1593X; Magnitude visual limite m lim = 2,5 . log (D / 6,2) 2 + mVS: 14,7; Foco próximo com ocular: 60’; Foco próximo com câmera: 60’; Comprimento do tubo óptico: 25 pol (635,0mm); Massa: 27,5 libras (12,5kg).

Características óptico-físicas do telescópio Celestron CPC800

Sistema óptico: Catadióptrico Schimidt-Casegrain; Abertura: 8pol (203,2mm); Distância focal: 2032mm (80”); Número f: f/10; Maior aumento útil: 480X; Menor aumento útil: 29X; Poder de resolução: 0,57”; Resolução fotográfica: 200linhas/mm; Poder de concentração de luz: 843X; Magnitude visual limite: 14,7; Comprimento do tubo óptico: 17”; Massa: 42 libras (19,1kg).

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Observatório Astronômico Didático Capitão Parobé tem logotipo!

 


Reinaugurado o Observatório Capitão Parobé do CMPA

No dia 1 de dezembro de 2011 foi reinaugurado o Observatório Astronômico Didático Capitão Parobé do Colégio Militar de Porto Alegre. A cerimônia contou com a presença do Gen Div Roberto Fantoni Saurin, Comandate da 3ª. Região Militar, do Gen Bda Roberto Junghton, Chefe do Estado Maior do Comando Militar do Sul, que foram recepcionados pelo Comandante do CMPA Cel Cav Antonio Augusto José De Souza, Prof. Dr. Horácio Dottori, representante do Departamento de Astronomia do Instituto de Física da UFRGS, do Prof. Dr. Paulo Machado Mors, representante do Departamento de Física da UFRGS, oficiais militares, professores e demais autoridades, alunos do Clube de Astronomia do CMPA e da Legião de Honra, e visitantes.
A reinauguração diz respeito à conclusão das obras de anexação da sala de controle, sala de palestras, banheiro e alojamento ao sítio de observação inaugurado em 26 de novembro 2002.
Durante a cerimônia de reinauguração autoridades e professores foram agraciados com a medalha Trompowski, condecoração esta que é concedida pelo Instituto dos Docentes do Magistério Militar a personalidades e entidades civis e militares que se destacaram pelos relevantes serviços prestados ao Magistério Militar e/ou à Educação no Sistema Colégio Militar do Brasil.

Demais imagens sobre a inauguração podem ser vistas em
https://plus.google.com/photos/107395750964874062320/albums/5681950135915320177?banner=pwa
e a cerimônia de entrega das medalhas em
http://www.cmpa.tche.br/index.php?option=com_content&task=view&id=3698&Itemid=2&lang=

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Observatório Capitão Parobé participa do I VINUA em Nova Petrópolis, RS


Participação do Observatório Astronômico Didático Capitão Parobé do CMPA na I VINUA (1ª Vigília Noturna Ufológica e Astronômica) promovida pelo MGU (Movimento Gaúcho de Ufologia), realizado nos dias 3 e 4 de dezembro de 2011 no município de Nova Petrópolis-RS.
Sempre focados na divulgação da ciência, em especial da Astronomia, e atendendo convite do MGU, feito pelo Prof. Odone, devidamente autorizado pelo comando do CMPA, o Observatório Astronômico Didático Capitão Parobé apoiou a I VINUA, no tocante às questões astronômicas, com a participação do Prof. 1º Ten Bruscato  utilizando o telescópio Celestron de 8 polegadas CPC 800.Foram feitas observações de Júpiter e de quatro de suas 62 luas, da nebulosa de Órion, de Betelgeuse e da Lua que estava em quarto crescente.
Durante as observações foram ministradas orientações sobre fenômenos ópticos relativos à refração dos raios luminosos em nossa atmosfera, sobre a posição de planetas, de estrelas e de constelações, técnicas de observação de satélites artificiais, além de considerações e constatação da influência negativa que a poluição luminosa traz à observação do céu. O evento constou, na tarde de sábado, de palestra com definição de local e normas para observação que ocorreu desde as 08h30min de sábado até  01h30 min de domingo.

sábado, 19 de novembro de 2011

NOTICIAS DOS CÉUS

Nasa cria mais preciso mapa já feito da superfície da Lua



O mapa foi produzido usando informações enviadas pela nave Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO, ou Orbitador de Reconhecimento Lunar, em português), lançada em junho de 2009.

As imagens revelam depressões e elevações em quase toda a Lua. Um pixel no mapa representa uma área praticamente igual a dois campos de futebol.

"Nossa nova visão topográfica da Lua fornece os dados que os cientistas lunares esperavam desde a era das missões Apollo", disse Mark Robinson, cientista-chefe da câmera da LRO.

Com o mapa, segundo Robinson, é possível determinar os graus de inclinação de todos os principais terrenos geológicos da Lua em uma escala de 100 m, além de determinar como a crosta lunar foi deformada, entender melhor a mecânica das crateras geradas por impactos e planejar melhor futuras missões à Lua, tripuladas ou não.

Dois instrumentos foram usados para produzir o mapa: a câmera com lente grande-angular e um altímetro a laser.

A nave LRO foi lançada à órbita lunar carregando seis instrumentos projetados para coletar informações detalhadas sobre o ambiente do satélite natural da Terra.

FONTE
http://noticias.uol.com.br/ultnot/cienciaesaude/ultimas-noticias/bbc/2011/11/18/nasa-cria-mais-preciso-mapa-ja-feito-da-superficie-da-lua.jhtm

Nasa capta movimento nas dunas de Marte

As dunas de Marte são muito mais dinâmicas do que se imaginava e chegam a se deslocar vários metros, segundo constataram um grupo de cientistas da Nasa (agência espacial americana) graças às imagens da sonda de reconhecimento MRO que orbita o Planeta Vermelho e que foram divulgadas nesta quinta-feira.

"Estamos acostumados a pensar que a areia em Marte é relativamente imóvel, por isso estas novas observações estão mudando nossa perspectiva", afirmou Nathan Bridges, cientista do Laboratório de Física da Universidade Johns Hopkins, em Maryland.

Segundo Bridges, que publicou suas descobertas na revista "Geology", ou Marte tem mais rajadas do que se pensava "ou os ventos são capazes de transportar mais areia".

A superposição das imagens detectadas pela sonda mostra claramente o movimento das dunas, algo que contrasta com as teorias científicas de apenas uma década atrás que apontavam que estas não se movimentavam ou faziam em um ritmo tão lento que não se podia detectar.

A sonda Mars Reconnaisance Orbiter (MRO), lançada em 2005, e as imagens captadas pela câmera de alta resolução HiRISE, permitiram documentar o movimento anual de uma dúzia de dunas e outras formações em todo o planeta.

A atmosfera de Marte é muito tênue e por isso são necessários ventos muito fortes mesmo que para movimentar um grão de areia. De acordo com os cálculos, apenas ventos de 130 km/h podem movimentar essas pequenas partículas que na Terra se deslocariam com ventos de 16 km/h.

Os cientistas declararam que não registraram movimento em todas as dunas observadas, mas destacaram que esta descoberta ressalta a importância da vigilância a longo prazo em alta resolução.

FONTE



Lua de Júpiter pode esconder grandes lagos sob o gelo


Europa, a brilhante e enigmática lua de Júpiter, pode esconder um corpo hídrico do tamanho dos Grandes Lagos da América do Norte, anunciaram astrônomos esta quarta-feira em estudo publicado na revista científica Nature.


A descoberta, se for confirmada por uma aguardada missão com robôs, é animadora, já que a água é um dos componentes chave da vida.

Uma missão para explorar o satélite está na lista de candidatos de futuras missões da Nasa.

Com sua cobertura branca e gelada refletindo o distante Sol, Europa é o segundo satélite mais próximo de Júpiter, o maior planeta do Sistema Solar.

Fotos dela, enviadas pela nave Galileu durante exploração feita entre 1995 e 2003, mostram uma superfície castigada, marcada por rachaduras e gelo remexido.

Tentando compreender como uma topografia tão incomum se desenvolveu em um lugar tão obscuro, os cientistas acreditavam que a resposta poderia ser encontrada em processos similares aos observados na Terra.

Segundo eles, abaixo de placas flutuantes de gelo e sob geleiras que encobrem vulcões, a interação entre o gelo e plumas de água quente dá vazão a um fenômeno denominado terreno caótico.

O modelo dos cientistas sugere que a cobertura de gelo de Europa teria cerca de 10 km de espessura e dentro dela haveria grandes bolsões d'água, a cerca de 3 quilômetros de profundidade.

A água quente destes lagos subsuperficiais jorram em plumas, fazendo com que o gelo fique frágil, rache e finalmente ceda.

A transformação do gelo seria um 'plus' para a perspectiva de vida, uma vez que transferiria energia e nutrientes entre o lago subglacial e a superfície.

"Uma ideia corrente na comunidade científica é a de que 'se a camada de gelo é espessa, isto é ruim para a biologia, [pois] significa que a superfície não se comunica com o oceano encoberto'", afirmou Britney Schmidt, geofísico da Universidade do Texas em Austin, que chefiou a pesquisa.

"Agora vemos evidências de que mesmo a camada de gelo sendo espessa, ela pode se misturar vigorosamente. Isto poderia tornar Europa e seu oceano mais habitáveis", acrescentou.

O estudo aumenta o conhecimento sobre as luas geladas de enormes planetas gasosos.

Acredita-se que a lua Enceladus, que orbita Saturno, também abrigue um mar salgado entre seu núcleo rochoso e sua crosta gelada.

Teóricos sugerem que a minúscula lua seja geologicamente ativa, graças a um fenômeno chamado aquecimento de maré.

Ela sofreria uma fortíssima atração gravitacional de seu enorme planeta e dos satélites vizinhos, Dione e Jano.

Segundo esta hipótese, como resultado, suas entranhas seriam distendidas e comprimidas, provocando uma fricção que aqueceria o oceano subsuperficial.

No caso de Europa, a flexibilidade de maré seria exercida por Júpiter e Io, o mais recôndito satélite do planeta. 
 
FONTE
 

domingo, 7 de agosto de 2011

Sete alunos do CMPA na pré-seleção para Olimpíadas Internacionais de Astronomia


Entre os vários objetivos da Olimpída Brasileira de Astronomia (OBA), um deles é o de selecionar equipes para representarem o Brasil na Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica (IOAA, International Olypiad on Astronomy and Astrophysics) e na Olimpíada Latino Americana de Astronáutica e Astronomia (OLAA). Até 2010 as questões de astronomia da prova do nível 4 (Ensino Médio) tinham um nível de dificuldade que facilmente permitia selecionar uma centena de alunos, dentre aqueles de notas mais altas, nas questões de astronomia, para dentre esses, posteriormente, serem selecionadas as equipes que representariam o Brasil nas duas competições internacionais. Por outro lado, este alto nível de dificuldade das questões de astronomia implicava que muitos alunos tiravam notas muito baixas,o que não só desestimulava os alunos como também os seus professores. A partir de 2011, então, foi modificado o nível de dificuldade das questões de astronomia do nível 4, deixando-as muito mais simples, objetivas e sem manuseios algébricos. Com isso, um grande número de alunos obtiveram notas altas, o que praticamente impossibilita a seleção daquela centena de alunos que precisávamos, pois temos quase mil alunos com notas bastante altas.

Para serem selecionados cerca de 100 alunos para os quais vai ser dado um treinamento intensivo, semipresencial e à distâcia, será necessário fazer uma segunda prova, que foi denominada de "prova de PRÉ-SELEÇÃO", somente com questões de astronomia e com um nível de dificuldade um pouco acima daquele da prova realizada em 13/05/2011. As notas que os alunos obtiveram na prova de 13/05/2011 da XIV OBA serão usadas na distribuição das medalhas nacionais. Ou seja, a nota desta prova de PRÉ-SELEÇÃO não mudará nenhum resultado anterior. Essas regras são impostas pelos regulamentos das olimpíadas internacionais.
Os alunos que estão no Primeiro ou Segundo Ano do ensino Médio, nascidos depois de 01/01/92 e que estão sendo convidados para fazerem a prova de pré-seleção, só com questões de astronomia, são os seguintes:
Nicolau Pereira Alff,
Filipe Brito Hamburgo,
Heron Torres,
Guilherme Werberich Selbach,
vitor da Rosa Rohde, 
Willian Cechin Guarienti e
Gabriel Sholl Roballo 

Somente podem participar da prova de pré-seleção os alunos relacionados abaixo. Esses alunos não são obrigados a a realizar essa prova, porém a coordenação da OBA gostaria muito que os alunos fizessem a pré-seleção. A data na qual deverá ser realizada a prova de pré-seleção será na sexta-feira, dia 02/09/2011, no horário que acharmos conveniente.

terça-feira, 28 de junho de 2011

Alunos do Curso de Licenciatura em Geografia da UCS visita o Observatório Capitão Parobé

Na tarde do dia 25 de junho passado, sábado, cinco alunos do Curso de Licenciatura em Geografia da Universidade de Caxias do Sul, Campus de Bento Gonçalves, e sua professora, visitaram as dependências do Laboratório de Física e as dependências do Observtório Astronômico Didático Capitão Parobé. Devido ao péssimo tempo que fazia naquele dia não conseguimos fazer obervações do céu. Porém, driblamos essa dificuldade substituindo por outras atividades. Independentemente do mau-tempo subimos até as dependências do Observatório e lá mostramos o funcionamento do telescópio Celestron de 11 polegadas, manejo e cuidados, o funcionamento do teto móvel e conversamos sobre atividades que atualmente estão em andamento e projetos futuros. Após essa participação no ambiente do Observatório retornamos ao CMPA, onde, novamente no Laboratório de Física, organizamos uma roda de discussões sobre diversos assuntos relacionados à astronomia e astronáutica, tomando como base um conjunto de questões que os alunos e professora organizaram previamente e utilizando como recursos didáticos o software Stellarium e vídeos do YouTube. Comapreceram ao evento a professora Márcia Berreta e os alunos Artur Casagranda, Cleiton A.Vieira, Leonardo Dutra, Evandra Piazza e Daniele Rita de Mattos. Ao final do evento firmamos compromisso de juntarmos esforços para futuras atividades de observação do céu, tanto utilizando o Observatório Capitão Parobé, quanto utilizando os diferentes ambientes despoluídos de luz das cidades, que permeiam a Serra Gaúcha.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Um belo eclipse da Lua!

Na noite do dia 15 de junho de 2011 ficamos maravilhados com um belo eclipse da Lua! Na verdade,um belo meio-eclipse, pois a Lua nasceu perto das 18 horas por detrás do Morro da Polícia ainda mergulhada na penumbra da sombra da Terra. Lentamente ela foi se afastando da umbra e penetrando na penumbra para mais tarde sair totalmente do cone de sombra projetado pela Terra que ficou colocada entre o Sol e a Lua naquele entardecer. A expectativa pelo eclipse começou ainda na semana passada, quando no horário regular do Clube os alunos se inteiraram do que iria ocorrer e levaram para casa algumas atividades para se familiarizarem com o fenômeno. Durante toda a semana foi um vai-e-vem em torno do assunto. No horário previsto para o nascimento da Lua a expectativa contagiou até mesmo os jornalistas da Rádio e TV Guaíba e da TVE, que estavam presentes. Pelo fato da Lua estar escurecida e o entardecer ainda estar claro, com um céu bem azul, não nos apercebemos do seu aparecimento por detrás dos morros. Só nos detivemos naquela paisagem quando o aluno Bento Pereira corria e gritava apontando a silhueta esmaecida da Lua pouco acima do Morro da Polícia, à esquerda das antenas. Inicialmente todos achávamos que aquele "Olha a Lua! Olha a Lua!" do Pereira fosse brincadeira, pois nada víamos. Mas aos poucos, apertando os olhos, viamos a silhueta esmaecida da Lua eclipsada pairando acima dos morros! 
Foi uma bela experiência, onde além dos 17 alunos que participaram, participaram também o Comandante do CMPA,Cel De Souza, Cel Araujo, Profa Gisele os jornalistas e outros visitantes.

terça-feira, 14 de junho de 2011

Eclipse total da Lua será observado pela comunidade do CMPA


Só é azarado quem mora na América do Norte, pois o público de lá não verá nenhuma fase desse eclipse. Observadores de todos os continentes, contudo, conseguirão observar esse eclipse, pelo menos em uma de suas fases. No nosso caso, veremos a Lua nascer no leste já completamente imersa na sombra da Terra. A partir daí, acompanharemos sua saída do cone de umbra e penumbra.Como espetáculo extra espera-se que as cinzas do vulcão que estão espalhadas pela estratosfera possam afetar a cor da sombra projetada sobre a Lua.


Observadores do céu do mundo todo vão colocar os olhos, telescópios e binóculos no eclipse de 15 de junho próximo. A Lua demorará 100 minutos completamente mergulhada na sombra da Terra, tornando este eclipse o mais longo dos últimos 11 anos. O máximo do eclipse ocorrerá na noite de quarta-feira às 17h20min do horário local em Porto Alegre. Verifique mais detalhes e animação.

 “A Lua passará bem no meio da sombra durante a totalidade”, disse o cientista atmosférico Richard Keen da Universidade do Colorado. “Como tal, poderemos ter um eclipse razoavelmente escuro. Além do mais, parece que a erupção do vulcão Puyeheue da última semana colocou uma grande camada de dióxido de enxofre na estratosfera. As cinzas e a pluma de enxofre formam uma camada densa e extensa e situam-se em média a uma altura de 13,7km. Partículas no hemisfério sul da estratosfera podem causar um escurecimento do hemisfério sul da Lua durante a totalidade”.
Nos últimos anos Keen tem estudado o brilho da Lua durante os eclipses para comprovar as condições na nossa estratosfera. Quando a Lua eclipsada se encontra brilhante, isso significa que a estratosfera está limpa. Por outro lado, um eclipse escuro indica uma atmosfera empoeirada. A comparação entre limpo e empoeirado é importante devido ao fato de o estado da atmosfera influenciar no clima; uma estratosfera limpa “deixa o sol entrar” para aquecer a superfície da Terra. Na conferência de SORCE em 2008 Keen anunciou que “o registro do eclipse lunar mostrou uma estratosfera limpa durante a última década e que isso contribuiu para um aumento em torno de 0,2 graus no recente aquecimento global”.
Informe-se aqui sobre outros detalhes, animações e demais recursos.
Em vista disso, o Clube de Astronomia e o Observatório Astronômico Didático Capitão Parobé convidam a comunidade para presenciar esse fenômeno a partir das 17h nas dependências do Observatório, sito no pátio da 1ª DL, Rua Cleveland, 250, Bairro Santa Teresa, Porto Alegre.

(http://www.spaceweather.com/archive.php?view=1&day=15&month=06&year=2011, de 1506/2011, tradução livre, versão e adaptação de Luiz Carlos Gomes)

segunda-feira, 16 de maio de 2011

EXOPLANETA HABITÁVEL

Climatologistas consideram exoplaneta potencialmente habitável

PARIS, 16 maio 2011 (AFP) - Um dos planetas que gira ao redor da estrela-anã Gliese 581 poderia ser "habitável", com clima propício para a existência de água em estado líquido e vida, segundo um estudo que uma equipe de climatologistas acaba de publicar.
Os astrônomos querem determinar se alguns dos 500 exoplanetas descobertos são aptos para abrigar a vida.
Sete vezes mais maciço que a Terra e aparentemente rochoso, o Gliese 581d "poderia ser o primeiro planeta potencialmente habitável" descoberto até hoje, anunciou esta segunda-feira o francês Centro Nacional de Pesquisas Científicas (CNRS) em um comunicado.
Detectado em 2007 a 20 anos-luz (1 ano-luz = 9,5 trilhões de quilômetros) do Sistema Solar, o Gliese 581d foi considerado na ocasião frio demais para ser "habitável", ou seja, não teria temperaturas compatíveis com a presença de água em estado líquido em sua superfície.
Este exoplaneta, que orbita ao redor de uma estrela pouco quente, uma anã-vermelha, recebe três vezes menos energia em comparação com a que a Terra recebe do Sol. Também é possível que tenha sempre a mesma face voltada para a sua estrela, enquanto a outra permanece em eterna escuridão.
Apesar das desvantagens, o Gliese 581d poderia se beneficiar de um efeito estufa, que lhe dá um clima "quente a ponto de permitir a formação de oceanos, nuvens e chuva", segundo uma modelização que ilustra "a grande variedade de climas possíveis para os planetas da galáxia", acrescentou o CNRS.
Nesta simulação, a equipe de Robin Wordworth e François Forget, do Laboratório de Meteorologia Dinâmica (LMD) do Instituto Pierre Simon Laplace de Paris, se inspirou nos modelos usados para o estudo do clima terrestre, ampliando a gama de condições possíveis.
Se tiver uma atmosfera densa em dióxido de carbono (CO2), o que é considerado muito provável pelos cientistas, o exoplaneta pode evitar a condensação de sua atmosfera na face noturna e inclusive ter um clima quente.
Após um fenômeno denominado "difusão Rayleigh", que dá a tonalidade azul ao nosso céu, a atmosfera terrestre reflete para o espaço uma fração importante do resplendor azul, limitando o aquecimento do nosso planeta. Um efeito que é pouco sensível com o vermelho, segundo os cientistas, cujos trabalhos foram publicados na revista científica "The Astrophysical Journal Letters".
O Gliese 581d, terceiro planeta que orbita ao redor da anã-vermelha, poderia estar em uma penumbra avermelhada, com uma atmosfera densa e uma espessa camada nebulosa.
Fonte


sábado, 14 de maio de 2011

PROVA DA OBA (SEXTA A TARDE)



XIV OBA Realizada no CMPA



Na tarde de sexta-feira, 13 de maio de 2011, foi realizada nas dependências do CMPA a XIV Olimpíada Brasileira de Astronomia, Energia e Astronáutica (XIV OBA). Participaram do evento 13 alunos do Ensino médio e 17 alunos do Ensino Fundamental, respectivamene níveis 3 e 4 da olimpíada. A XIV OBA representa um marco, quando completamos dez anos de participação initerrupta. Nesses dez anos tivemos classsificação de vários alunos na fase nacional e e cinco classificações em olimpíadas internacionais. O evento foi coordenado pelos professores Luiz Carlos GOMES, antonio Carlos PAIM e Ten Gentil Cesar BRUSCATO. Agradecemos a todos que peritiram que o evento acontecesse com sucesso, principalmente ao serviço de aprovisonamento e rancho do CMPA que colaborou com água, guaraná e café que foram colocados à disposição de alunos e professores.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Nasa divulga imagens inéditas do Sol em alta definição

Nasa divulga imagens inéditas do Sol 

em alta definição


A Nasa está trabalhando em conjunto com a universidade central de Lancashire (UCLan), na Grã-Bretanha, para monitorar detalhes inéditos sobre o campo magnético do astro e a coroa solar.
As imagens têm qualidade dez vezes superior ao de uma televisão em alta-definição.
A UCLan é um dos centros europeus que estuda dados coletados pelo SDO. Na Grã-Bretanha, é o único instituto que fornece fotos com estudos sobre o Sol.
O telescópio do satélite faz 80 imagens do Sol a cada minuto, gerando o equivalente a 1,5 terabites de dados por dia, o equivalente a meio milhão de músicas baixadas no iTunes.
Além do interesse científico, as imagens também serão usadas como inspiração para uma obra do artista digital Chris Meigh-Andrews, que é professor da mesma universidade.
As imagens captadas estão sendo projetadas em um telão em uma das ruas da cidade britânica de Preston até o final desta semana.






 FONTE
http://noticias.uol.com.br/ultnot/cienciaesaude/ultimas-noticias/bbc/2011/05/09/nasa-divulga-imagens-ineditas-do-sol-em-alta-definicao.jhtm

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Alunos constroem câmera estenopeica no Laboratório de Física

Na manhã de sábado, dia 30 de abril, alunos do CMPA participaram de projeto de construção de  câmaras estenopeicas utilizando caixas de sapato, latas de achocolatados, latas de leite em pó e outros recipientes. Após a construção da câmara, ou câmera, foram tiradas várias fotografias do ambiente do Colégio, bem como sua posterior revelação, secagem, escaneamento e publicação na rede mundial de computadores. O evento foi coordenado pelo professor Antonio Carlos PAIM, com a colaboração direta dos professores Luiz Carlos GOMES, Prof. Cel DEOCLÉCIO José de Souza e Prof. Ten Gentil Cesar BRUSCATO. Também coordenou a atividade o Sr. Adalberto Portoalegre, aluno do Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e a aluna Ana (?) deste mesmo Instituto.
A câmara-escura, câmara estenopeica, ou mesmo "pinhole" em inglês, é um ambiente completamente fechado, onde a única entrada de luz se dá através de um orifício (o estenopo), cujo diâmetro deve ser tão pequeno quanto o diâmetro de uma agulha (por isso o nome em inglês “pinhole”). É a antecessora de todas as câmeras fotográficas, porém não utiliza lentes na entrada de luz. A imagem forma-se na parede frontal àquela onde se encontra o orifício obedecendo a leis geométricas muito interessantes a partir da inversão dos raios luminosos deixados passar pelo orifício. A câmara-escura tem seus primeiros estudos de cunho científicos realizados por Leonardo da Vinci. Existe uma proporcionalidade direta entre o tamanho do objeto luminoso, sua distância ao orifício, a distância do orifício ao fundo da câmara e o tamanho da imagem que se forma invertida. Tem grande importância para o estudo da astronomia, visto que é esse equipamento que normalmente é recomendado para se gravar, ou mesmo projetar, os raios do Sol provenientes de um eclipse, ou mesmo para se registrar o aparecimento de manchas solares na superfície daquele astro. Especula-se que o Santo Sudário tenha sido uma imagem feita em uma câmara-escura sobre linho embebido em substâncias químicas sensíveis à luz solar. Atualmente, fotografar com uma câmara escura não somente é um “hobbie”, mas é também uma forma de expressão de arte.
Na atividade de sábado foi proposto para os participantes a construção de uma câmara-escura utilizando latas de refrigerantes, caixas de papelão e outros tipos de embalagens; com essa câmara-escura, construída com a devida técnica, que foi esplanada através de uma rápida discussão teórica dos prinipios físicos e da matemática ali encontrados, imagens do ambiente foram gravadas em papel fotográfico; uma vez gravada a imagem o material foi revelado pelos próprios alunos, passando a constituir um acervo de imagens inéditas e interessantes que estão sendo enviadas para o sitio eletrônico www.pinholeday.org e expostas a nível mundial via internet. O papel fotográfico e os reagentes químicos utilizados para revelação foram doados pelo coordenador do evento e pelo Sr. Adalberto Portoalegre, professor em EJA da Prefeitura Municipal de Porto Alegre. Na realidade o evento era para acontecer no dia 24 de abril, mas visto que nessa data celebra-se o domingo de páscoa cristão, tivemos que adiar para a data do dia 30 pelo fato de a data-limite para enviarmos as imagens produzidas para os organizadores nos EUA foi em 1 de maio.
Algumas fotos postadas pelos alunos podem ser vistas no endereço:

http://www.pinholeday.org/gallery/2011/index.php?formType=list&f_action=refresh&Country=Brazil&Province=Rio+Grande+Do+Sul&City=Porto+Alegre&postal_code=&groupname=&searchStr=
 

quinta-feira, 31 de março de 2011

NOVA IMAGEM DA TERRA

Europeus fornecem a mais exata imagem da  gravidade na Terra

Modelo da gravidade na Terra fornecerá dados oceanográficos e da estrutura interna do planeta




Dados enviados por satélite à ESA (Agência Espacial Europeia), durante dois anos, possibilitaram o estudo preciso da gravidade do planeta Terra de uma forma inédita.
Os cientistas agora detêm um dos mais exatos modelos geoide (forma mais aproximada do nosso planeta, visto que ele não é totalmente redondo) do lugar onde vivemos. 
A imagem foi divulgada nesta quarta-feira durante uma conferência em Munique (Alemanha) --para ver uma versão animada, acesse aqui.
No estudo apresentado pela ESA se considerou a gravidade do geoide sem a ação de marés e de correntes oceânicas.
O modelo serve como referência para medir a movimentação dos oceanos, a mudança do nível do mar e a dinâmica do gelo, o que pode abrir precedente para entender com maior profundidade as mudanças climáticas.
Além desses dados oceanográficos, também servirá para o estudo da estrutura interna do planeta --como os processos que levam à formação de terremotos de grande magnitude e que podem provocar danos devastadores, como aconteceu com o Japão no sismo de 11 de março.
Do espaço, é praticamente impossível para os satélites observarem a dinâmica dos tremores, visto que o movimento das placas tectônicas ocorre abaixo do nível dos oceanos.
Contudo, explica a ESA em seu site, os tremores costumam deixar um "rastro" na gravidade do planeta, o que pode ajudar a entender o mecanismo de um terremoto e, quem sabe, antecipar sua ocorrência. 
 
21/03/2011


 Referência

http://www.esa.int/esaCP/SEM1AK6UPLG_index_0.html
(para ver a Terra com sua nova forma girando)

http://www1.folha.uol.com.br/ciencia/896402-europeus-fornecem-a-mais-exata-imagem-da-gravidade-na-terra.shtml



terça-feira, 22 de março de 2011

Clube de Astronomia e Observatório Capitão Parobé: hoje uma data histórica!

Na data de hoje, dia em que o Colégio Militar de Porto Alegre completa 99 anos, comemoramos também o primeiro contato feito pela internet através de fibra-óptica entre os computadores do Observatório e do Laboratório de Física. Transcrevemos aqui a troca de e-mails entre os professores Gomes e Bruscato, no momento do contato e do e-mail do Coronel Araujo comemorando mais essa vitória na tentativa de colocarmos em execução um projeto nacional que começou há mais de dez anos e até hoje não pôde ser concretizado devido aos muuitos percalços encontrados pelo caminho.
 
Em 22 de março de 2011 16:24, Observatório Capitão Parobé CMPA <observatoriocmpa@gmail.com> escreveu: Olá amigo Gomes.

Hoje é um dia especial. Estou te enviando este e-mail diretamente da sala de controle do OBSERVATÓRIO ASTRONÔMICO DIDÁTICO CAPITÃO PAROBÉ.
Finalmente depois tantas idas e vindas e com a colaboração de muitas pessoas estamos conseguindo este feito.
A data não poderia melhor, no dia do aniversário de 99 anos do CMPA. SALVE O BRASIL!!!

Um abraço astronômico a você meu amigo.

Prof Gentil Cesar Bruscato

Luiz Carlos Gomes 

 para Observatório, bcc: Araujo, bcc: Cel, bcc: Zeuxis, bcc: Cap
mostrar detalhes 16:31 (4 horas atrás)

Vou encaminhar este e-mail para a Cap Luciana, para o professor Paim, para o Sub-Diretor de Ensino e para o Cel Araujo. Não tenho o e-mail do Comadnante, mas ele precisa saber disso ainda hoje. Parabéns, amigo!



Leonardo Araujo

 para Observatório, mim, , Antonio, Prof.ª, Cel, Cap, FC, Cel, João, Cel, Sub, Gen, Cel, Gen, Cel, Cel, Cel, Horácio, Gen, Márcio, Gustavo, Prof.ª, Cel, Laerte, Gen
mostrar detalhes 19:31 (2 horas atrás)

Prezados amigos,
Essa é uma data especial e vitoriosa por todos os títulos! Parabéns a todos que lutaram tenazmente por este objetivo, alguns desde o distante ano de 2002!
Finalmente, no dia em que o CMPA completa 99 anos, o Observatório Astronômico Capitão Parobé - órgão de pesquisa científica do Colégio Militar de Porto Alegre -  está conectado à Internet por fibra ótica!
Muito em breve estará sendo inaugurada completamente a segunda fase do Observatório, já com sala de controle/estudo, banheiros, alojamento, terraço observacional, cercamento, ajardinamento e via de acesso britada, outro sonho acalentado e desenvolvido há quase nove anos!
Parabéns Prof. Ms. Gomes, 1º Ten Prof Bruscato, Prof. Dr. Dottori, Prof. Dr. Laerte, Prof. Ms. Paim, Prof.ª Gravina, Cel Prof Deoclécio, Cap Profª Luciana, FC Graça, Gen Bda Padilha, Gen Div Biasi (in memoriam), Cel De Souza, Cel Piaggio, Gen Bda Vasconcellos, Cel Contieri, Prof. Dr. Beck, Cel Fontoura, Cel Monteiro Soares, Gen Bda Ubiratan, Prof. Dr. Hennemann, Prof. Dr. Rodrigo Mattos, Gen Bda Ronalt, Cel Luiz Eduardo, Cel Moreira, ST Iltair,  Prof. Ms. Márcio, Prof. Gustavo, Prof.ª Ms. Gisele, Arq. Karina, alunos do Clube de Astronomia (de ontem e hoje) e a todos que, direta ou indiretamente, colaboraram decisivamente para mais essa vitória. São pessoas assim que fazem a diferença, tornando o nosso mundo (e o CMPA) mais adiantado e melhor!
Como soldado-de-primeira-hora dessa empreitada, fico muito feliz com o objetivo alcançado e com todas as excelentes oportunidades que ele agora abre. Literalmente, o céu é o limite!
Um forte abraço,
Cel Araujo

Clube de Astronomia mede a sombra do Sol no Equinócio Vernal de março de 2011

O Clube de Astronomia do Colégio Militar de Porto Alegre teve a satisfação de participar da atividade de medida da sombra do Sol no equinócio de 21/03/2011. A atividade propriamente dita começou às 11h00min e se estendeu até as 13h30min, no ambiente do Observatório Astronômico Didático Capitão Parobé. Após esse horário, os alunos retornaram ao Colégio.
Essa atividade já vem sendo tradicionalmente programada previamente com a Supervisão Pedagógica do Colégio, ao final do ano, para constar do calendário de eventos da agenda dos alunos como sendo um pic-nic no Observatório, como já o fizéramos há alguns anos. O presente projeto é realizado em conjunto com o Grupo de Trabalho sobre Ensino da Astronomia, organizado por ocasião da Reunião CTS 4 (Ciencia, Tecnologia e Sociedade IV), realizada em Porto Alegre, Brasil, entre os dias 24e 26 de novembro de 2008. Esta reunião foi organizada em conjunto pelas seguintes Sociedades Científicas: Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC, Brasil), Asociación Ciencia Hoy (Argentina), Asociación Argentina para el Progreso de las Ciencias (AAPC, Argentina) e Sociedad Uruguaya para el Progreso de la Ciencia y la Tecnología (SUPCYT). Por convite então, da Profa. Dra. Maria de Fátima Oliveira Saraiva, do Instituto de Física da UFRGS, integramos nossa atividade à atividade do grupo mencionado, num projeto não somente regional, local, mas internacional. No ano passado e neste ano a equipe fundiu-se a outro projeto mais amplo denominado Projeto Eratóstenes, cujo objetivo principal é, a partir dos dados colhidos nas medidas da sobra do Sol a meio-dia, refinar a medida da circunferência da Terra.
O dia estava muito lindo, luminoso e limpo de nuvens. Os alunos, em número de 23,  foram divididos em oito grupos, de trabalho, onde seis grupos utilizaram as mesas do terraço do Observatório e os outros dois grupos fizeram as medidas sobre o Disco de Efemérides ao lado do prédio do Observatório.  Sobre cada uma das seis mesas de alvenaria do terraço do Observatório foram colados papéis para marcação individual dos alunos e um pequeno gnomon de 15 centímetros. Dois gnomons foram colocados sobre o Disco de Efemérides no chão e fizemos sistematicamente as marcações das sombras do Sol a cada 10 minutos, a partir das 11h20min. Ao final de tudo os alunos mediram os comprimentos das sobras coletadas no papel
Na próxima quarta-feira, 23/03/11, no horário do Clube de Astronomia, os professores coordenadores irão conduzir a atividade de medida da sombra e determinação do ângulo de incidência do Sol com os alunos.
Uma vez estando de posse desses resultados enviaremos as informações e fotos para divulgação e tratamento de dados pelo grupo de professores que participam do projeto internacionalmente. Da nossa parte, existe interesse particular de escrevermos um pequeno artigo para ser publicado e divulgar a atividade, independentemente do artigo que deverá ser publicado pelo grupo organizador do evento internacional.

quinta-feira, 17 de março de 2011

Após seis anos de viagem, sonda Messenger começa a orbitar Mercúrio

Após seis anos de viagem, sonda Messenger começa a orbitar Mercúrio

MESSENGER SE APROXIMANDO DA ÓRBITA DE MERCÚRIO. À DIREITA TEMOS UMA IMAGEM DA TERRA VISTA DE MERCÚRIO.

 

Mais de seis anos depois de ter sido lançada da Terra, a sonda espacial norte-americana Messenger deve começar na quinta-feira a orbitar Mercúrio, no primeiro contato íntimo com o pequeno planeta rochoso desde 1975.

Os astrônomos estão interessados em Mercúrio, o planeta mais próximo do Sol, porque ele é rochoso como a Terra, e não gasoso, como Júpiter. Existem muitas dessas esferas rochosas em torno de estrelas fora do nosso sistema solar, o que significa que Mercúrio poderia oferecer pistas sobre outros mundos, segundo nota divulgada pela Nasa.
"Agora que tantos novos planetas são descobertos ao redor de estrelas em outros sistemas solares, precisamos saber os efeitos do desgaste espacial em superfícies rochosas, para que possamos interpretar os dados telescópicos e de outras formas de sensoriamento remoto que obtemos de outros mundos rochosos ou poeirentos", disse Ann Sprague, do Laboratório Lunar e Planetário da Universidade do Arizona, que está envolvida no projeto.
O Messenger (que significa "mensageiro", mas é também a sigla em inglês para Exploração, Geoquímica, Ambiente Espacial e Superfície de Mercúrio) partiu em 3 de agosto de 2004, e desde então fica "dançando" entre a Terra, a Lua e Mercúrio propriamente dito, num complexo movimento que o impede de ser atraído pelo campo gravitacional do Sol.
Na noite de quinta-feira, a sonda começará sua missão de um ano de duração em torno de Mercúrio, orbitando-o uma vez a cada 12 horas e preenchendo lacunas visuais deixadas pela última sonda a estar por lá - a Mariner 10, em 1974-75.
A nave, com dois painéis solares para alimentação e um guarda-sol para mantê-lo fresco o suficiente para operar, vai estudar a história geológica, o campo magnético, a composição da superfície e outros mistérios desse planeta tão pouco conhecido. Quando a missão terminar, a nave vai cair na superfície do planeta.
Com um diâmetro ligeiramente maior que o da Lua (cerca de 4.800 quilômetros), Mercúrio deveria ser todo sólido, até o núcleo. Mas a presença de um campo magnético sugere que ele é parcialmente derretido por dentro.
Há décadas os cientistas precisam se contentar com as fotos feitas pela Mariner 10, de um só lado do planeta, além de observações terrestres e dados obtidos a partir de Marte e de meteoritos.
No caminho até Mercúrio, o Messenger conseguiu tirar muitas fotos que tinham escapado à Mariner, e restam agora apenas cerca de 5 por cento do planeta por mapear, principalmente nos polos. A sonda tentará captá-los durante a fase orbital da missão.

 Primeiras imagens da missão





REFERÊNCIAS

http://noticias.uol.com.br/ultnot/cienciaesaude/ultimas-noticias/reuters/2011/03/16/apos-seis-anos-de-viagem-sonda-messenger-comeca-a-orbitar-mercurio.jhtm 

http://messenger.jhuapl.edu/mer_orbit.html

http://messenger.jhuapl.edu/gallery/sciencePhotos/

http://messenger.jhuapl.edu/gallery/sciencePhotos/ 

http://www.on.br/revista_ed_anterior/setembro_2004/conteudo/noticias/messenger/messenger.html

 


Galáxia herda nome de vilão do filme "O Senhor dos Anéis"

Galáxia herda nome de vilão do filme "O Senhor dos Anéis"

 

A NGC 4151 está localizada a cerca de 43 milhões de anos-luz da Terra e se enquadra entre as galáxias jovens que possui um buraco negro em intensa atividade. Mas ela não é só lembrada por esses quesitos. A NGC 4151 é conhecida por astrônomos como o "olho de Sauron", uma referência ao vilão do filme "O SENHOR DOS ANÉIS"
Por estar relativamente próxima da Terra, a NGC 4151 fornece pistas sobre a interação mantida entre um buraco negro em atividade e os gases que o rodeiam.
O que parece ser a pupila é o centro da galáxia, que contém hidrogênio atômico ionizado e de onde surgem as estrelas --equivalente a um "berçário" espacial.
Ao redor, em vermelho, notam-se nuvens formadas por hidrogênio neutro e partículas que são atraídas do espaço. Já os pontos amarelos representam regiões onde ocorreram recente atividade de formação de estrelas.

 REFERÊNCIA

http://www1.folha.uol.com.br/ciencia/887260-galaxia-herda-nome-de-vilao-do-filme-o-senhor-dos-aneis.shtml

sexta-feira, 4 de março de 2011

Uma quarta-feira de grandes palestras e muito envolvimento no Clube

 
A tarde de quarta-feira, dia 02 de março de 2011, foi muito profícua em termos de apresentações e desenvolvimentos de idéas e projetos. A tarde começou com brilhante palestra proferido pelo professor Antonio Carlos PAIM, a respeito da constituição e formação da cratera do Cerro do Jarau,  em Quaraí, no estado do Rio Grande do Sul. A palestra foi ilustrada com farto material bibliográfico e belas fotos da paisagem local mostrando o aspecto da cratera visto do chão e por satélite através de imagens feitas pela NASA. Um dos efeitos imediatos da palestra foi o contagiante desejo dos alunos participarem de projetos ligados à coleta, pesquisa e catalogação de restos de meteoritos que possams er encontrados pelo chão. Ao longo do semestre aprofundaremos os estudos sobre meteorítica e faremos o possível para culminar o trabalho com a visitação do local pelos alunos do Clube de Astronomia e ali fazermos uma rica coelta de material para estudo e possível apresentação dos resultados na Feira de Ciências, Arte e Cultura do Colégio em outubro.
A outra palestra foi proferida pelo aluno Bento PEREIRA, da turma 805. O aluno PEREIRA apresentou para os colegas os procedimentos para analisar as caractrerísticas de um planeta extrassolar, a partir do projeto "Planet Hunters" da NASA, que fornece dados coeltados pela sonda KEPLER para análise de mais de 100.000 estrelas localizadas na direção das contelsções de Lyra e Cygnus. Assim como o aluno PEREIRA, estão também já cadastrados no projeto as alunas VITÓRIA GUIMARÃES, da turma 601 e a aluna ANA LIMA, da turma 901.