Informações técnicas


Este blog é dedicado à divulgação das atividades do Clube de Astronomia e do Observatório Astronômico Didático Capitão Parobé do Colégio Militar de Porto Alegre.

Localização

Rua Cleveland, 250, bairro Santa Tereza, Porto Alegre

Rio Grande do Sul – Brasil

30º03’55”SUL 51º13’04”OESTE

Altitude: 75m

Características óptico-físicas do telescópio Celestron C11

Sistema óptico: Catadióptrico Schmidt-Cassegrain; Abertura (D): 11pol (279,4mm); Distância focal do espelho primário(F): 110,2 pol (2799,1mm); Razão focal (número f) = F/D: f/10; Maior aumento útil: 660X; Menor aumento útil: 42X; Poder de resolução (s) = 11,6”/D: 0,42”; Resolução fotográfica: 200 linhas/mm; Poder de concentração de luz: 1593X; Magnitude visual limite m lim = 2,5 . log (D / 6,2) 2 + mVS: 14,7; Foco próximo com ocular: 60’; Foco próximo com câmera: 60’; Comprimento do tubo óptico: 25 pol (635,0mm); Massa: 27,5 libras (12,5kg).

Características óptico-físicas do telescópio Celestron CPC800

Sistema óptico: Catadióptrico Schimidt-Casegrain; Abertura: 8pol (203,2mm); Distância focal: 2032mm (80”); Número f: f/10; Maior aumento útil: 480X; Menor aumento útil: 29X; Poder de resolução: 0,57”; Resolução fotográfica: 200linhas/mm; Poder de concentração de luz: 843X; Magnitude visual limite: 14,7; Comprimento do tubo óptico: 17”; Massa: 42 libras (19,1kg).

sábado, 18 de setembro de 2010

Oposição de Júpiter em 2010: um show maravilhoso!


Uma aproximação incomum de Júpiter tornará essa oposição de Setembro especialmente memorável.  A revista Astronomy magazine oferece podcasts, vídeos e cartas celestes interativas para que todos os níveis de observadores possam apreciar esse grande evento.

Bill Andrews, assistant editor

Júpiter brilha na região mais a leste da abóbada celeste após o por-do-sol e atinge o máximo de sua aparição deste ano de 2010
 
Júpiter brilhará muito mais e maior no dia 21 de Setembro do que brilhou nos últimos 50 anos. Isso ocorrerá porque ele estará em oposição, colocando-se diretamente na direção oposta ao Sol durante a noite. No dia 21 o gigante joviano nasce a leste ao por-do-sol e se põe a oeste ao nascer do Sol permanecendo visível durante toda a noite.

Esta oposição será especial porque Júpiter, o maior de todos os planetas do sistema solar atingirá o seu periélio, o ponto mais próximo do Sol de sua órbita. Isso significa que ele estará muito mais perto da Terra nessa oposição do que costuma acontecer. Ele nascerá na constelação de Pisces (peixe) e mostrará sua melhor performance no alto do céu, uma vez que sua luz atravessa poucas camadas de ar, umidade e poluição, ao contrário do que acontece quando se encontra mais perto dos horizontes leste e oeste. "Será um show maravilhoso este ano," disse Michael E. Bakich, editor sênior da revista Astronomy. "Júpiter é um grande alvo para os observadores iniciantes e veteranos, e ele não poderia estar melhor que agora. Facilmente poderão ser localizados suas luas e o cinturão de nuvens no norte de seu equador".

O inesperado desaparecimento do cinturão sul-equatorial (South Equatorial Belt – SEB) no início deste ano, também torna essa oposição incomum. O SEB sumiu de vista e seu retorno é extremamente impressionante, com tempestades irrompendo repentinamente. Poderão passar dias ou anos até que Júpiter novamente pareça “normal”, o que é mais uma razão para que os observadores  tenham Júpiter como seu alvo principal.

Nesta aproximação, Júpiter brilhará com  uma magnitude de -2.9, e seu diâmetro equatorial angular se estenderá por 49.9", tornando-o difícil de ser ignorado. "Os fãs de Júpiter não vão querer perder este show," disse Bakich.

Rápidas sobre Júpier . . .

  • Júpiter é o maior planeta do Sistema Solar. Mais de 1000 Terras podem ser colocadas dento do volume de Júpiter e todos os outros planetas quando colocados juntos ocupam apenas 70% de seu volume.
  • A translação de Júpiter em torno do Sol demora 12 anos terrestres, mas a rotação em torno do seu eixo demora apenas 10 horas, tornando-o o mais rápido de todos os planetas do nosso Sistema Solar.
  • A rotação de Júpiter é tão grande, que seu diâmetro polar de 66.900,00 quilômetros mede 93% do seu diâmetro equatorial de 71.500,00 quilômetros.
  • Júpiter reflete 52% da luz solar que chega até ele, mais do que qualquer outro planeta, com exceção de Vênus, que reflete 65%.
  • As quatro luas brilhantes de Júpiter, Io, Europa, Ganimedes e Calisto, são facilmente visíveis através de pequenos telescópios. Io demora menos que 2 dias para completar uma órbita em torno de Júpiter. Com isso, suas posições relativas visivelmente mudam em apenas uma hora – menos quando aparece muito perto de Júpiter em relação a nós.
  • Nossa linha de visada está paralela à órbita dos quatro satélites jovianos, sendo assim podemos ver ocultações (quando uma das luas move-se atrás de Júpiter) e trânsitos (quando uma das luas passa em frente ao planeta) por várias vezes.
  • Ganimede é o maior satélite do Sistema Solar, com um diâmetro médio de 5.300,00 quilômetros, maior que o diâmetro de Mercúrio

Tradução, versão e adaptações: Luiz Carlos Gomes de Astronomy Magazine, newsletter de 17/09/2010.

Nenhum comentário: